Blog /
Não nos deixemos assustar pelo TSE

Cléber

## Continuemos na árdua tarefa de fiscalizar tudo * Date: 2018-11-03 01:46:42 * Modified: 2018-11-30 16:12:23 Raul Jungmann ameaçou as pessoas que ofereceram denúncias a respeito de fraudes nas urnas eletrônicas e, à maneira do Antigo Governo, acabou foi por tentar intimidá-las para que parassem de espalhar por aí o fato indiscutível que tanto as urnas eletrônicas quanto o próprio TSE estão envoltos em profundas situações questionáveis e, em geral, absurdas. # As urnas eletrônicas Falo com propriedade quando digo que as urnas eletrônicas são facilmente fraudáveis. Trabalho há muitos anos com desenvolvimento de software e digo que se não for **eu** a compilar o código, jogar num pendrive e carregar na urna eletrônica, **absolutamente não há como eu confiar** que aquele código que me foi mostrado é, de fato, o que foi carregado na urna. Repetirei, para ser mais claro: **há infinitas formas de se burlar homologações** e o único que pode dizer com absoluta certeza de que tudo está 100% correto seria alguém que executasse pessoalmente todos esses passos: análise completa do código fonte, compilação (traduzir o código legível por humanos para código legível por computadores), instalação e execução. Como tal pessoa não existe, eu absolutamente não confiono processo e fico admirado que a uma tarefa tão importante seja dada tamanho desprezo pela transparência técnica. Um excelente exemplo é uma das auditorias requisitadas nesse ano de 2018, que começou com alguém espetando um *pendrive* na urna e ligando-a. Em resumo: **destruiu** completamente a validade da auditoria. **Numa auditoria séria a máquina passa 90% do tempo desligada** e somente depois de muita validação, quando o processo é considerado encerrado, é que liga-se o aparelho e, então, efetua-se mais alguns testes. # O TSE "*Quem vigia os vigilantes?*" Como pode ser que o órgão responsável por fiscalizar o TSE seja o próprio TSE? E não somente fiscalizar: o TSE é quem define a forma, o dia e o horário que qualquer "terceiro" tenha para auditar seus processos. Nada mais a declarar. # O sentimento cívico e patriótico de pertencer As filmagens com celular mostrando problemas das urnas e tudo o mais, apesar de acabar gerando alguns ruídos (e serem práticas ilegais), demonstram claramente **um desejo muito cívico de fiscalização da coisa pública** e, especialmente, das ferramentas de manutenção da nossa democracia. É também um sinal de que o indivíduo está começando a se aperceber que ele é o protagonista da sua história, não mais um mero espectador, e que pode participar ativamente da democracia de seu país. Ou seja: apesar de qualquer coisa, é animador ver esses sinais transparecendo na população. Então eu digo: **não nos deixemos intimidar pelo TSE**. Vamos continuar reivindicando mais transparência e, especialmente, que haja algum **outro** órgão que possa fiscalizar suas práticas com plena liberdade, não sob os ditames absurdos daquele que é fiscalizado.

Curti

67 visitantes curtiram esse Item.

Anterior: Análise do livro Heart of Darkness | Próximo: Robô velho